A(s) surpresa(s) de Seamus Blake - Orquestra de Jazz de Espinho

A(s) surpresa(s) de Seamus Blake


28 de Julho, 2020   /   42
Orquestra de Jazz de Espinho

O saxofonista Seamus Blake apresentou-se enquanto solista com a Orquestra de Jazz de Espinho no passado mês de Fevereiro. O músico é inquestionavelmente um dos mais ecléticos e carismáticos da sua geração. Seamus é um hábil compositor e arranjador que nos últimos anos impulsionou a fusão da linguagem jazzística com os timbres electrónicos, nomeadamente o EWI - Electronic Wind Instrument, como de resto demonstrou ao longo da sua performance em Espinho.

A sua sonoridade quente e poderosa alcançada no saxofone tenor e as linhas angulosas e sofisticadas do discurso improvisado eram já de esperar. Mas o que terá surpreendido tudo e todos foram as capacidades vocais de Seamus. Acontece que o saxofonista cantou em vários dos temas interpretados, mas havia ainda mais um truque na manga.

Foi já no final do concerto que foi desvendada a maior surpresa da noite. "Amuse Bouche", da autoria do músico, foi interpretado por Seamus Blake, a Orquestra de Jazz de Espinho e a cantautora Mila Dores. A artista tem vindo a construir o seu caminho pelo mundo do jazz, destacando-se o disco A Quem Possa Interessar (2015) e o EP Canções de Sedição (2018).

A Associação